Seminário cirtual aborda a relação entre fotografia e arquitetura na programação do Pampulha Território Museus

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e do Instituto Periférico apresentam o Seminário "Mundos potenciais: sobrevivências e desaprendizagens da imagem”. A atividade acontece em parceria com a Aliança Francesa e Embaixada da França, e integra a programação cultural virtual do Pampulha Território Museus e da 8ª Semana da América Latina e Caribe #SALC2021. O seminário tem por objetivo criar um espaço de reflexão crítica em torno de fotografia, arte e cidade, tendo como mote a exposição “Marcel Gautherot – registros modernos da invenção da Pampulha: depois e além”, montada na Casa do Baile - Centro de Referência de Arquitetura, Urbanismo e Design. A mostra está temporariamente com visitas suspensas, em atendimento ao decreto municipal vigente com medidas de prevenção e combate à pandemia de Covid-19. A iniciativa conta com duas mesas de conversas e acontece no dia 10 de junho, das 8h às 13h. Para participar, os interessados devem se inscrever pela plataforma Sympla https://bit.ly/3uKHApx, até o dia do evento. Mais informações em pampulhaterritoriomuseus.com.br.   As rodas de conversas irão explorar afinidades e vizinhanças fotográficas, sendo a primeira "Pampulha + Congonhas", das 8h às 10h30, e a segunda "Amazônia + Brasília", das 10h30 às 13h. Os oito participantes convidados para as rodas de conversa, com formações diversas, transitam entre docência, pesquisa, arte, fotografia, cinema e curadoria. O que os une nessa aventura é a relação que cada um desenvolve, a seu modo, com a imagem como prática e campo crítico de pensamento. Para o evento, cada um recebeu uma seleção de fotografias de Gautherot, utilizadas na exposição, e irá compartilhar uma reflexão por elas provocada. Na sequência das apresentações, o debate será aberto entre participantes e público. A organização e mediação do seminário é da arquiteta e pesquisadora Junia Mortimer.   "Mundos potenciais: sobrevivências e desaprendizagens da imagem” discute a exposição a partir dos segmentos que a compõem, Pampulha, Congonhas, Amazônia e Brasília, todas localidades fotografadas por Gautherot em suas expedições pelo Brasil.   Participam da mesa "Pampulha + Congonhas" Eduardo Costa, Rita Velloso e Rosângela Rennó. A segunda mesa, "Amazônia + Brasília", conta com a participação de Aude Mathé, Paulo Tavares e Adirley Queiroz.   A atividade é gratuita, virtual e foi produzida respeitando todos os protocolos de prevenção à Covid-19.   O Pampulha Território Museus é uma realização da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e do Instituto Periférico.   8ª SEMANA DA AMÉRICA LATINA E CARIBE #SALC2021 Entre os dias 27 de maio a 12 de junho, a França, por meio do Ministério da Europa e dos Negócios Estrangeiros, festeja a América Latina e o Caribe com a oitava edição da Semana da América Latina e Caribe # SALC2021. O evento é uma oportunidade para celebrar os laços de amizade e os interesses partilhados entre as duas regiões, mas também para descobrir a riqueza e a diversidade deste subcontinente em torno de mais de 350 eventos culturais, científicos, políticos, econômicos ou simplesmente festivos.   A CASA DO BAILE A Casa do Baile - Centro de Referência de Arquitetura, Urbanismo e Design integra o Conjunto Moderno da Pampulha, declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, idealizado por Juscelino Kubitschek e projetado por Oscar Niemeyer na década de 1940. A função original do espaço era ser um pequeno restaurante dançante, de uso mais popular. A fim de garantir sua preservação e requalificar seu uso, desde 2002 funciona como Centro de Referência de Arquitetura, Urbanismo e Design. A Casa do Baile produz e abriga exposições, publicações, mostras, seminários, encontros e ações educativas relacionados aos temas de sua vocação museal.   SOBRE O PAMPULHA TERRITÓRIO MUSEUS O Museu de Arte da Pampulha – MAP e a Casa do Baile são reconhecidos pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade, e o Museu Casa Kubitschek é um importante ícone da arquitetura residencial modernista. Os três são unidades museais presentes na paisagem cultural do Conjunto Moderno da Pampulha. Ao reconhecer sua importância e representatividade para Belo Horizonte, o “Pampulha Território Museus”, lançado em dezembro de 2020, busca promover cada um desses espaços, valorizando suas vocações museológicas e sua relação com a cidade. Por meio da parceria entre a Fundação Municipal de Cultura e a OSC Instituto Periférico, selecionada por meio de edital, os museus recebem uma programação cultural inovadora, com exposições, atividades culturais e educativas, estimulando a participação ativa dos cidadãos. Até dezembro de 2021, a iniciativa realizará 3 exposições, 20 atividades culturais, 48 atividades educativas, 10 projetos de design e 3 publicações.