Pular para o conteúdo

Pluralidade marca a programação do Circuito Poéticas Urbanas

    Realizado pela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, em parceria com o Centro de Intercâmbio e Referência Cultural (Circ), o Circuito Municipal de Cultura, em parceria com a Zona Cultural Praça da Estação, promove o Circuito Poéticas Urbanas, no domingo, 29 de maio. O evento cultural será marcado por uma extensa programação, das 10h às 19h, para todas as idades. Um dos destaques da atividade é a presença do multiartista Abròs Barros (PE) comandando uma residência artística que propõe como resultado um painel a partir das práticas de graffiti e lambe-lambe. A obra será pintada ao vivo. O público também poderá acompanhar o Campeonato Interdrag de Gaymada, da companhia Toda Deseo (BH), a exibição do mini doc “Duelo de MCs Nacional 2020”, do coletivo Família de Rua (BH), com roda de conversa sobre a cena das batalhas de MC’s no Brasil, e também o lançamento do livro “Fragmentos do Tempo Presente”, da pesquisadora Rosane Borges Lança (SP), lançado pela Editora Aquilombô (BH). Haverá também uma feira de editoras independentes locais e de produtos artesanais de empreendedores da capital e região metropolitana. Será um dia marcado por mais de 25 atrações, entre elas: diversas expressões artísticas como literatura, artes visuais, música, discotecagem, cinema e performances.

    A ação segue os protocolos sanitários vigentes em Belo Horizonte de combate à covid-19. Para mais informações do evento consulte o site www.circuitomunicipaldecultura.com.br.

    De acordo com a Diretora de Promoção das Artes da Fundação Municipal de Cultura, Aline Vila Real: “A realização do Circuito Poéticas Urbanas, em parceria com a Zona Cultural Praça da Estação, marca o retorno das atividades do Circuito Municipal de Cultura nos espaços públicos urbanos da cidade, convidando a população a experienciar uma programação diversa, plural e conectada com o território. O evento tem duração de 9 horas,  totalmente gratuito e oferece programação acessível para pessoas com deficiência auditiva e surdos”.

    Para a Diretora de Articulação Institucional da Secretaria Municipal de Cultura, Graziella Medrado: “Estamos retomando a vida cultural na cidade, o convívio social, e poder fazer isso na Zona Cultural com o Circuito é muito significativo. Nessa parceria, a Zona Cultural Praça da Estação e o Circuito Municipal de Cultura com o evento Circuito Poéticas Urbanas, reiteramos a importância desse território central, complexo e tão criativo quanto a Zona, reforçando parte de sua identidade cultural e fortalecendo os vínculos com a cidade”.

    Atrações

    Shows musicais – O cantor, compositor e precursor da importante cena rap queer do país Rico Dalasam chega ao Circuito Poéticas Urbanas com seu novo show em que apresenta o álbum “Dolores Dala Guardião do Alívio”. Revisitando emoções, afetos, vida e carreira, imprime a costumeira dualidade que costura toda a sua obra, o poema confessional de Dala lança luz aos lugares mais fundos das relações afetivas promovendo o “Encontro DDGA” e faixas inéditas do seu próximo disco.

    O show acontece às 16h no palco externo – esquina da rua Guaicurus com rua Aarão Reis.

    No mesmo palco, o Circuito apresenta os shows musicais com grupo Forró Cabra Cega (BH) às 10h, discotecagem com o DJ Guidub (BH) às 10h40, Jennifer Souza (BH) às 12h e Mariana Cavanellas às 13h.

    Abròs Barros (PE)- Poesia! Além da visualidade, um dos maiores marcos artísticos das obras de Abròs Barros (PE) é a poesia. A partir das 10h, Abròs comanda a oficina Arte urbana para iniciantes, uma ação da residência Nos Muros que entregará à Belo Horizonte um painel pintado pelos residentes. A obra será construída a partir da inspiração oferecida pela poesia de Ricardo Aleixo (BH), artista intermídia e pesquisador de Literaturas, outras artes e mídias.

    Abròs conta que tem sido tocado pelo processo de selecionar poesias de Aleixo, mas que também está aberto ao inesperado. “A palavra tem um poder muito grande de abrir portais de compreensão e revelar características que, às vezes, a pintura não consegue por si só. As palavras de Aleixo têm me tocado muito durante a pesquisa para a residência, mas confesso que estou aberto para me deixar afetar pelo não planejado: a experiência que só acontece ‘sendo e estando’. Acredito que pisar no solo dessa cidade vai me aproximar ainda mais da obra de Aleixo”, reflete.

    Abròs é multiartista e integra o Coletivo Carni de arte negra e indígena. Participa, desde 2019, do Coletivo Mural (Movimento urbano de arte do lambe), e, a partir de 2020, representa a Nós Galeria (SP). Em 2022, inaugura sua primeira exposição solo na Nós Galeria, chamada Não existe forma pra dizer o que eu preciso.

    O público poderá acompanhar ao vivo a  ação de construção do painel a partir das 10h na área externa do Centro de Referência das Juventudes (CRJ), rua Guaicurus, 50, Centro, na Zona Cultural Praça da Estação.

    Gaymada(BH) – A intervenção artística urbana como potência de debate sobre questões de identidade de gênero e diversidade sexual de uma maneira agregadora, leve e bem humorada é a proposta do Campeonato Interdrag de Gaymada, da companhia Toda Deseo (BH). O espetáculo tem a estrutura de um campeonato esportivo: com uma chave de quatro times, presença de líderes de torcida, uma DJ e uma juíza. Além disso, durante os intervalos entre jogos, a companhia realiza performances coreográficas. Os times são formados de maneira espontânea sem distinção de idade, classe social, raça, etnia e, principalmente, identidade de gênero ou orientação sexual.

    A Gaymada é uma iniciativa da companhia de teatro Toda Deseo e desde sua primeira edição, em 2015, já reuniu mais de 50 mil pessoas, em quase 100 edições realizadas em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Curitiba e nas unidades do SESC no interior e na capital de São Paulo.

    A atração conta com a participação especial da Plataforma Coletiva Queerlombos, movimento cultural que começou em Ouro Preto e região, e, atualmente, irradia para o Brasil e América Latina com o objetivo de construir espaços de encontro, afeto, pesquisa, expressão estética e artística.

    A Gaymada acontece na esquina da rua Guaicurus com a rua Aarão Reis, a partir das 17h30.

    Livro Fragmentos do Tempo Presente – Já em literatura, a pós-doutora em Ciências da Comunicação Rosane Borges (SP) lança Fragmentos do Tempo Presente pela Editora Aquilombô (BH). O livro traz reflexões da autora publicadas entre 2016 e o início de 2019, passando pelos conturbados eventos políticos do período. O volume é a continuação de Esboços de um tempo presente (Malê, 2016). Borges possui publicações nas colunas da Boitempo, Carta Capital, Jornalistas Livres e Cult.

    Rosane da Silva Borges (SP) é pós-doutora em Ciências da Comunicação, professora colaboradora do grupo Estética e vanguarda do CTR-ECA-USP, articulista da Carta Capital, do blog da Editora Boitempo e dos Jornalistas livres e autora das obras Mídia e racismo e Espelho infiel: o negro no jornalismo brasileiro. Aquilombô (BH) é o selo editorial do Aquilombô – Fórum Permanente de Artes Negras um espaço de convergência teatro, música, literatura, performance e residências.

    O lançamento acontece às 14h, no auditório do Centro de Referência das Juventudes (CRJ).

    As Histórias de Tikinho, com Lucas Ramon (BH) – traz para a pauta a literatura surda infantil e sua  importância na aquisição da língua de sinais por crianças surdas. A atividade será composta por um bate-papo seguido de contação de histórias com o personagem Tikinho.

    A ação acontece às 11h, na Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte, e tem tradução em libras.

    Feira – Já a feira será um espaço de comercialização de publicações de editoras independentes locais e de produtos artesanais produzidos por empreendedores de Belo Horizonte e da Região Metropolitana. Sua realização acontece de 10h às 18h no CRJ.

    Circuito Poéticas Urbanas

    A ação terá mais de 25 atrações, entre elas: diversas expressões artísticas como literatura, artes visuais, música, discotecagem, cinema e performances de circo, vogue, funk e slam. Todas as atrações tem classificação livre, exceto: Mostra Corpo-Imagem-Movimento| Videodança (12 anos); Sessão Filme de Rua (14 anos); Oficina Incorpore-se de Si: ateliê aberto com Sheilla Sol (16 anos) ; Oficina Figurino como narrativa do fantástico com Edsel Duarte (16 anos).

    O evento celebra a Zona Cultural Praça da Estação. Para conhecer a programação completa com horários, acesse https://linktr.ee/circuitopoeticasurbanas

    SOBRE A ZONA CULTURAL PRAÇA DA ESTAÇÃO

    A Zona Cultural Praça da Estação, instituída por meio do Decreto Municipal n° 15.587/2014, é um espaço de convergências na cidade de Belo Horizonte que congrega inúmeros movimentos artísticos, espaços, agentes culturais e sociedade civil, reforçando a cultura de Belo Horizonte em suas dimensões simbólica, econômica e cidadã. Lugar de referência para encontros, realização de práticas culturais, esportivas e artísticas de caráter urbano e tradicional, a Zona Cultural é um território de grande valor simbólico e polarizador da cidade. Constituída por um vasto conjunto urbano protegido por tombamento, e de equipamentos culturais públicos e privados, a Zona Cultural Praça da Estação aglutina diversos usos, atividades e manifestações culturais,  que possibilitam a fruição da diversidade cultural presente na cidade.

    Entendendo a ocupação de espaços públicos como uma expressão do direito à cidade e sua utilização pela população, o Projeto Zona Cultural Praça da Estação busca fomentar e articular ações, sujeitos e projetos presentes no território, fortalecendo seus valores históricos, culturais e sociais, e sua importância como parte constitutiva de sua memória e identidade.

    SERVIÇO:

    Circuito Poéticas Urbanas

    Data: 29 de maio (domingo)

    Horário: 10h às 19h

    Entrada: gratuita

    Local: Zona Cultural Praça da Estação com atividades no Centro de Referência das Juventudes (CRJ), rua Guaicurus, 50, Centro; e esquina da rua Guaicurus com a rua Aarão Reis

    Classificação: As atrações tem classificação livre, exceto: Mostra Corpo-Imagem-Movimento| Videodança (12 anos); Sessão Filme de Rua (14 anos); Oficina Incorpore-se de Si: ateliê aberto com Sheilla Sol (16 anos) ; Oficina Figurino como narrativa do fantástico com Edsel Duarte (16 anos).

    Para mais informações, acesse: www.circuitomunicipaldecultura.com.br

    Rate this post