Pular para o conteúdo

Memorial Vale traz show, teatro infantil e oficina de peteca para crianças na programação de abril

    Fotos: Divulgação Imprensa

    Diversas atrações culturais e educativas, presenciais, estão confirmadas para acontecer durante o mês de abril no Memorial Vale.  Até o dia 3, o público é convidado a visitar a exposição “Imaginante de Minas, século 20″, que reúne obras de mais de 30 artistas para traçar uma visão diversa das experiências em artes visuais desenvolvidas nas terras mineiras ao longo do século 20. Instigado pela mostra, o educativo do Memorial  preparou duas ações com o intuito de proporcionar a interação com as obras, sendo elas:

    “Constelações Imaginárias” e “Com a Palavra os Curadores”, disponíveis até o dia 3.  Outra atividade oferecida pelo educativo é a “Oficina de Peteca”, com Neuma Rosa e Danira Silva, destinada à crianças a partir de 4 anos, nos dias 9 e 23 de abril, mediante inscrições prévias pelo (31) 3343-7317. Por este contato, também é possível agendar uma visita mediada com os educadores do Memorial, que está reabrindo a agenda, fechada devido a pandemia, para grupos escolares e não escolares.

    E na programação de abril tem também a celebração do Dia Nacional do Choro, com show do premiado cavaquinista Warley Henrique, dentro da série Memorial Instrumental, no dia 24 de abril, domingo, às 11h, com intérprete de Libras. O músico fará um passeio pelo universo do choro, apresentando clássicos do gênero, como Carinhoso e Rosa, ambas de Pixinguinha, que ganharam versão especial do artista. O show contará com intérprete de Libras. E o projeto Diversidade Periférica apresenta a cantora Adriana Araújo, uma das vozes femininas mais inspiradoras e potentes de Minas Gerais, vinda da favela Pedreira Prado Lopes. A artista faz o show “Inspiração”, no dia 28 de abril, quinta-feira, às 19h. E o projeto Eu, Criança, no Museu! traz no dia 30 de abril, sábado, às 16h30, com interpretação em Libras, a pré-estreia do espetáculo “Boo”, uma história divertida e surpreendente com as palhaças Brisa e Tecla, que caem de paraquedas no meio de uma floresta perigosa. Lá, elas encontram seus maiores e piores medos, descobrem como sobreviver, enfrentar e superar suas dificuldades com muita coragem. Para essas atrações é preciso retirar ingressos uma hora antes do evento, sendo no máximo um par de ingressos por pessoa, respeitando a limitação de lugares disponíveis no auditório.

    E como dia 21 de abril é celebrado o Dia de Tiradentes – Joaquim José da Silva Xavier -, um dos líderes da Inconfidência Mineira, o Memorial Vale convida o público a visitar a  sala de exposição permanente “Panteão da política mineira”, que traz os personagens da Inconfidência Mineira apresentando a história desta revolução de forma lúdica e surpreendente.

    O Memorial Vale, um dos espaços culturais do Instituto Cultural Vale, fica na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, e tem entrada gratuita.

    CONFIRA ABAIXO MAIS DETALHES DA PROGRAMAÇÃO DO MEMORIAL VALE EM ABRIL

    ATÉ 3 DE ABRIL – AÇÃO EDUCATIVA CONSTELAÇÕES IMAGINÁRIAS

    A ação consiste em convidar o visitante a interagir com a exposição “Imaginante de Minas, século 20″, por meio de comandos e provocações desenvolvidas pela equipe do Educativo. O que essas obras têm em comum? Ou diferem entre si? Quando a curadoria propõe uma contranarrativa sobre a história da arte em Minas Gerais no século XX, se gera um deslocamento que provoca uma onda de questionamentos, como por exemplo, entre Lira e Amilcar, do reino dos minerais ao vasto território das minas. Uma Minas rica e diversa exposta na galeria, nos permite tecer redes de significados, símbolos e referências. Ligamos os pontos e criamos constelações entre obras e artistas que frequentam o mesmo espaço em tempos diferentes, que perpassam os mesmos temas com suas formas singulares e particulares. Somos convocados a ressignificar muitos dos conceitos do que seria ser “Mineiro”, ou quais cores e imagens essa palavra nos traz.

    ATÉ 3 DE ABRIL – AÇÃO EDUCATIVA COM A PALAVRA OS CURADORES

    Trata-se de uma ação que consiste em áudios curtos dos curadores da exposição “Imaginante de Minas, século 20”, Júlio Martins e Maria Angélica Melendi. O objetivo é aproximar o público das escolhas e pesquisas dos curadores. Uma maneira de formar um público para acompanhar esse trabalho e, a um só tempo, compreender melhor as aproximações entre artistas e obras. Os áudios serão disponibilizados no site do Memorial Minas Gerais Vale e o visitante poderá acessá-los por meio de QRCode disponível na galeria.

    ATÉ 03/04 – EXPOSIÇÃO “IMAGINANTE DE MINAS, SÉCULO 20”

    Até o dia 3 de abril está aberta, presencialmente, a exposição “Imaginante de Minas, século 20” que faz parte das comemorações dos 10 anos de atividade do Memorial Vale. Com curadoria de Júlio Martins e Maria Angélica Melendi, “Imaginante de Minas, século 20″ reúne mais de 30 artistas para traçar uma visão diversa das experiências em artes visuais desenvolvidas nas terras mineiras ao longo do século 20”. O título se inspira em uma série de pinturas de Alberto da Veiga Guignard, marco importante, mas não único, da modernidade artística mineira, e aponta para desdobramentos improváveis nas poéticas dos artistas das décadas de 1960 a 1990.

    O público poderá ver seis obras de Guignard, três pinturas e três desenhos, e obras de Adalgisa Martins, Amílcar de Castro, Arlindo Daibert, Assis Horta, Beatriz Dantas e Paulo Emílio Lemos, Cao Guimarães, Celso Renato, Farnese de Andrade, Franz Weissmann, Genesco Murta, George Helt, G.T.O., Inimá de Paula, Jeanne Milde, Lorenzato, Lótus Lobo, Manfredo Souzaneto, Marco Sampaio, Marco Paulo Rolla, Marcos Benjamin, Marta Neves, Maria Lira Marques, Mary Vieira, Maurino de Araújo, Raymundo Colares, Renato de Lima, Roberto Vieira, Rosângela Rennó, Solange Pessoa e Zina Aita.

    DIA 9 E 23 DE ABRIL – “OFICINA DE PETECA”, COM NEUMA ROSA E DANIRA SILVA 

    Nos dias 9 e 23 de abril , sábados, o Memorial Vale oferece, gratuitamente, a “Oficina de Peteca”, com Neuma Rosa e Danira Silva, destinada a crianças a partir de 4 anos. Serão duas turmas por dia, sendo uma de 10h30 às 11h30 e outra turma de 11h30 às 12h30. Essa oficina é para quem conhece e não conhece a peteca. O convite é para todos que se interessarem em aprender melhor essa brincadeira brasileira, praticada também por alguns povos indígenas e que ganhou status de jogo. A ideia é fazer juntos uma peteca e, depois, brincar. É necessário fazer inscrição pelo telefone: (31) 3343-7317. A criança deverá estar acompanhada por um responsável durante todo o tempo da oficina. Haverá tolerância de 5 minutos para a chegada do participante. Após esse tempo, a vaga será liberada para outros interessados presentes no local.

    DIA 21 DE ABRIL – DIA DE TIRADENTES, UM DOS LÍDERES DA INCONFIDÊNCIA MINEIRA – VISITE A SALA “PANTEÃO DA POLÍTICA MINEIRA”

    Desde a Inconfidência Mineira, nos anos de 1780, quando os brasileiros lutaram pela liberdade, a política é uma característica marcante do Estado. Durante o Império, ao lado do Rio de Janeiro e de São Paulo, Minas Gerais formou o núcleo do poder no País. Fiel às suas raízes, Minas ainda hoje exerce uma forte influência no cenário político nacional.

    Nesta sala os personagens da Inconfidência Mineira apresentam a história desta revolução de forma lúdica e surpreendente.

    DIA 24 DE ABRIL – SHOW DE WARLEY HENRIQUE CELEBRA DIA NACIONAL DO CHORO

    Para celebrar o Dia Nacional do Choro (23/4), o Memorial Vale recebe show do premiado cavaquinista Warley Henrique, dentro da série Memorial Instrumental, com curadoria de Juliana Nogueira, no dia 24 de abril, domingo, às 11h, com entrada gratuita, no auditório, mediante retirada de ingresso antecipada, sendo limitado a dois ingressos por pessoa. O show contará com intérprete de Libras. O músico fará um passeio pelo universo do choro, apresentando clássicos do gênero, como Carinhoso, Rosa, Lamentos, Um a zero, Naquele tempo, de Pixinguinha, que ganharam versão especial do artista. No palco, Warley Henrique faz duo com o músico Robson Neres, com repertório que traz também Doce de côco, de Jacob do bandolim, Pedacinhos do céu, Brasileirinho e Tico tico, de Waldir Azevedo.

    Músico autodidata, Warley Henrique começou a tocar cavaquinho aos 15 anos. Em 2008, lançou seu primeiro CD intitulado “Delicado”, que contou com as participações especiais de Dona Ivone Lara e Wilson das Neves, tendo conquistado grande sucesso de público e de crítica. Em junho de 2014, lançou seu segundo CD, totalmente autoral, “Pra quem não me conhece” onde, além de tocar seu cavaquinho de 5 cordas, é o compositor, arranjador e diretor musical de todo o disco. Participou de vários festivais e dividiu o palco com grandes nomes da música brasileira.

    28 DE ABRIL – SHOW DE ADRIANA ARAÚJO, INSPIRAÇÃO

    O Memorial Vale recebe no projeto Diversidade Periférica, que tem a curadoria de Patrícia Avelar, a cantora Adriana Araújo, uma das vozes femininas mais inspiradoras e potentes de Minas Gerais, vinda da favela Pedreira Prado Lopes. A artista deixa seu recado por onde passa, sendo o álbum “Minha Verdade”, lançado em 2021,  a marca de sua história. Ela faz o show “Inspiração”, no dia 28 de abril, quinta-feira, às 19h, com entrada gratuita, no auditório, mediante retirada de ingresso antecipada, sendo limitado a dois ingressos por pessoa.

    Nascida na comunidade da Pedreira Prado Lopes, na região da Lagoinha, berço do samba de Belo Horizonte, Adriana Araújo se destaca como uma das grandes vozes do samba mineiro. Considerada um dos grandes talentos da atual geração, ela mantém viva a tradição deste gênero musical que é símbolo da identidade brasileira e, principalmente, da relevante contribuição cultural da população negra. Ao longo da sua trajetória, dividiu palcos com grandes nomes como Leci Brandão, Fabiana Coza, Jorge Aragão, entre outros. A artista lançou em julho de 2021, o seu primeiro álbum intitulado “Minha Verdade”, um LP que fala sobre sua história, ancestralidade, empoderamento, amor e representatividade passando por diversas vertentes do samba. O Álbum está disponível em todas as plataformas digitais.

    Patrícia Avelar, curadora do Diversidade Periférica, há 4 anos, destaca que “Inspiração” vai nortear o projeto, que completa 6 anos de realização pelo Memorial Vale, em 2022. “Como curadora tenho a oportunidade de olhar por outras janelas, ver, sentir e ouvir para além do óbvio, neste sentido sinto a diversidade de possibilidades criativas que brotam dos becos, vielas e ladeiras das favelas, espaços por vezes estigmatizados e criminalizados por parte de uma sociedade, mas ainda sim, seguem sendo inspiração e rompendo barreiras. Por falar em inspiração, palavra que dá nome ao show de Adriana Araújo, é ela a norteadora da temporada 2022 do Diversidade Periférica, que este ano completa 6 anos. Por nossos palcos, passaram artistas múltiplos que deram ao programa um brilho especial. Nesta edição de retomada presencial das atividades, pessoas que inspiram e acreditam nos valores que têm a ver com o programa, desta forma possibilita a troca de saberes múltiplos”, acredita a curadora.

    30 DE ABRIL – ESPETÁCULO INFANTIL BOO, COM AS PALHAÇAS BRISA E TECLA

    O Memorial Vale recebe, dentro do projeto Eu, Criança, no Museu! a pré-estreia do espetáculo “Boo”, uma história divertida e surpreendente com as palhaças Brisa (Janaina Morse) e Tecla (Maria Tereza costa), personagens que caem de paraquedas no meio de uma floresta perigosa. Lá, elas encontram seus maiores e piores medos, descobrem como sobreviver, enfrentar e superar suas dificuldades com muita coragem. A apresentação acontece no dia 30 de abril, sábado, às 16h30, com intérprete de Libras e entrada gratuita no auditório. Para o acesso, preciso retirar ingressos uma hora antes da peça, sendo no máximo um par de ingressos por pessoa.

    “Boo” é o novo trabalho da Minha Companhia, dedicado ao público infantil, que traz o medo como tema. A montagem foi criada durante a pandemia. Em cena, as palhaças Brisa e Tecla refletem sobre o medo na perspectiva da infância, de maneira leve e bem-humorada, com muita palhaçada e música. “Boo!” essa onomatopeia apavorante reflete a atmosfera do espetáculo que trata de um tema clássico universal da infância, mas pouco debatido com os pequenos: o medo!

    Ficha Técnica: Realização e produção: Minha Companhia | Atuação: Janaina Morse – Palhaça Brisa – Maria Tereza costa – Palhaça Tecla | Orientação dramatúrgica: Assis Benevenuto | Orientação de Palhaçaria: Daniela Rosa | Orientação Circense: Lucas Castro | Trilha sonora original: Maria Tereza Costa | Iluminação: Marina Arthuzzi | Cenografia e figurino: Janaina Morse e Maria Tereza Costa | Confecção de figurinos: Pauline Braga

    A Minha Companhia é uma coletiva artística fundada em 2019 e gestada por duas mulheres: Janaina Morse, atriz, formadora e pesquisadora em palhaçaria, desde 2007, e Maria Tereza Costa, atriz, cantora e compositora atuante na cultura, há mais de uma década. A coletiva conta com 2 álbuns musicais autorais. Um deles, Avoar, contemplado em 4o lugar no Prêmio da Música Popular Mineira (2020) e quatro espetáculos, utilizando as linguagens de música e palhaçaria. Participaram de diversos festivais, destacando-se: 13° Fenatifs – Festival Nacional de teatro infantil de Feira se Santana/BA; 15° Encontro de Palhaços de Ipatinga; – 8° Festival De Circo Taquaruçu –To; 3° Encontro Internacional de Menines do Circo – Sp; 8° Esse Monte De Mulher Palhaça – Rj.

    Memorial Minas Gerais Vale

    O Memorial Minas Gerais Vale, um dos espaços culturais do Instituto Cultural Vale, já recebeu mais de 1,1 milhão de pessoas, de todos os lugares do Brasil e de outros continentes. São mais de 1.600 eventos realizados e cerca de 200 mil pessoas em visitas mediadas. Integra o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte, um dos maiores complexos de cultura do Brasil. Caracterizado como um museu de experiência, com exposições que utilizam arte e tecnologia de forma intensa e criativa, é um dos vencedores do Travellers’ Choice Awards do TripAdvisor. Na curadoria e museografia de Gringo Cardia, cenários reais e virtuais se misturam para criar experiências e sensações que levam os visitantes do século XVIII ao século XXI. Mais que um espaço dedicado às tradições, origens e construções da cultura mineira, o Memorial é um lugar de trânsito e cruzamento entre a potência da história e as pulsações contemporâneas da arte e da cultura, onde o presente e o passado estão em contato direto, em permanente renovação. É vivo, dinâmico, transformador e criador de confluências com artistas independentes e com diversos segmentos da cultura mineira.

    Circuito Liberdade 

    O Memorial Minas Gerais Vale é integrante do Circuito Liberdade, complexo cultural sob gestão da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) e que reúne diversos espaços com as mais variadas formas de manifestação de arte e cultura em transversalidade com o turismo. Trabalhando em rede, as atividades dos equipamentos parceiros ao Circuito buscam desenvolvimento humano, cultural, turístico, social e econômico, com foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda, além da democratização e ampliação do acesso da população às atividades propostas.

    Rate this post