Home Diversos Casa Fiat de Cultura realiza exposição de obras de arte digital criadas durante Residência Artística

Casa Fiat de Cultura realiza exposição de obras de arte digital criadas durante Residência Artística

25 min read
0
0

As obras conectam o painel “Civilização Mineira” de Portinari e a cidade de BH. De 4 de julho a 5 de agosto, com entrada gratuita.

erminada a jornada colaborativa, os oito artistas selecionados apresentam obras digitais que conectam o painel “Civilização Mineira” de Portinari e a cidade de BH

Extrações_Alexandre Milagres e Fabrício Lins_Exposição Cidades e outras passagens_Casa Fiat de Cultura_Foto Leo Lara_Studio Cerri

Os artistas que antes ocupavam o espaço de criação da Residência Artística em Arte Digital da Casa Fiat de Cultura, agora vão ocupar a Piccola Galleria e o Videowall do hall principal para apresentar os processos e resultados da jornada colaborativa na exposição “Cidades e outras passagens na Casa Fiat de Cultura – Caminhos de uma residência em arte digital”. De 4 de julho a 5 de agosto, o público poderá conferir três instalações e quatro videoartes realizados durante três semanas de imersão em projetos que buscavam relacionar a cidade de Belo Horizonte ao painel de Candido Portinari “Civilização Mineira” (1959) – que retrata a mudança da capital mineira de Ouro Preto para Belo Horizonte em 1897 e o marco histórico que a Inconfidência Mineira de 1789 representou para o Estado –, acervo da Casa Fiat de Cultura em exposição permanente. A proposta era criar obras com foco na transformação da experiência do público visitante, inserindo-o em uma realidade híbrida: material e virtual. Os artistas da mostra são Alexandre Milagres, Augusto Lara, Fabrício Lins, Flávio CRO, Guilherme Xavier, Letícia Vianna, Mari Moraga e Thiago Amoreira e a curadoria é de Pablo Gobira, professor da Escola Guignard, pesquisador das relações entre arte, ciência e tecnologia e diretor do Laboratório de Poéticas Fronteiriças do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Artistas e curador participarão de um bate-papo no dia 5 de julho, na Casa Fiat de Cultura, das 19h30 às 21h (espaço sujeito à lotação). A exposição da Residência Artística é resultado da parceria com a CASACOR, que projetou o espaço de criação dos artistas, e com o Isvor Fab Lab, que colaborou no desenvolvimento das obras digitais. Toda a programação é gratuita.

O título da exposição remete aos caminhos trilhados pelos artistas para falar dessas duas cidades, Ouro Preto e Belo Horizonte. Caminhos em sentido amplo: artísticos, técnicos, político-sociais e até geográficos. Os locais visitados se misturam entre o passado, na antiga capital mineira, e o presente, na cidade de BH, e se encontram no painel de Portinari.

Pablo Gobira e Residentes_Residência Artística em Arte Digital_Casa Fiat de Cultura_Foto Leo Lara_Studio Cerri

O processo da Residência Artística teve concepção e coordenação do Programa Educativo da Casa Fiat de Cultura, com coordenação de Clarita Gonzaga e orientação de Taiane Costa, no qual a produção colaborativa foi uma metodologia essencial. A obra “De Portinari em Portinari BH”, por exemplo, era um projeto de Flávio CRO, mestre em Artes pela Escola Guignard, que ganhou nova configuração com a intervenção de Letícia Vianna, graduanda em Design na Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), que assinou a co-autoria da obra. Juntos eles apresentam uma videoarte com o trajeto, feito de bicicleta, da Casa Fiat de Cultura em direção aos diversos “Portinaris” que existem na cidade de Belo Horizonte, não apenas outras pinturas, mas também estabelecimentos comerciais e até uma rua com o nome do artista. “A medida que convivemos com outros artistas, o projeto vai ganhando novas dimensões. A Letícia Vianna se tornou uma parte importante do meu projeto, pois me fez repensar a apropriação que eu estava fazendo do mapa da cidade. Costumo trabalhar com uma apropriação ‘nua e crua’, sem modificar as imagens, e ela agregou mais arte ao meu projeto na edição do vídeo: desenhou, recriou os percursos e utilizou as cores do painel de Portinari”, comenta Flávio CRO.

O artista Augusto Lara, bacharel em Cinema de Animação e Artes Digitais pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), concorda com o colega sobre a experiência na Residência Artística e reitera a produção colaborativa como um ponto positivo: “conheci artistas muito bons e isso permitiu uma troca de ideias sensacional, assim como a orientação de Pablo [curador] e sua equipe”. Outra questão apontada por ele foi a oportunidade proporcionada pela Residência: “é uma maneira de fomentar a cultura, dar visibilidade a novos artistas e expor em BH a produção artística local de arte digital, que ainda encontra pouco espaço. Para mim foi uma forma de reivindicar o espaço da cidade”, afirma. Augusto é responsável pela criação, junto a Thiago Amoreira, graduando em Artes Visuais na Escola de Belas Artes da UFMG, da obra “Portinari Aumentado”, uma instalação interativa de realidade aumentada do painel que permite ao público visualizá-lo em profundidade por meio de um aplicativo para dispositivos móveis. A obra foi realizada com a utilização de técnicas tridimensionais, pintura e colagem digital. Thiago também criou, junto a Fabrício Lins, graduando em Artes Plásticas pela Escola Guignard, outra instalação interativa, “Interface Preta”, que permite uma experiência sensorial, tátil e auditiva, do conceito de mudança e contraste do painel de Portinari, com elementos que remetem ora a Ouro Preto, ora a BH.

Residência Artística em Arte Digital_Casa Fiat de Cultura_Foto Leo Lara_Studio Cerri

A coordenadora do Programa Educativo da Casa Fiat de Cultura, Clarita Gonzaga, explica que “já na seleção dos projetos, percebemos que as propostas escolhidas dialogavam entre si, o que ajudaria no processo colaborativo. Foi ótimo perceber que os artistas, quando chegaram aqui, abraçaram a ideia de um trabalho conjunto e também a de criar instrumentos de mediação. O contato com o público que visitou o espaço de criação da Residência Artística, principalmente turmas de crianças e jovens estudantes, contribuiu muito para essa preocupação e empenho em desenvolver obras de arte interativas. Os artistas cumpriram a proposta da Casa Fiat de Cultura de transformar a experiência dos visitantes”. O curador, Pablo Gobira, completa: “o grupo realmente se apropriou da proposta de construir obras que conectassem o painel Civilização Mineira à cidade de Belo Horizonte. Houve uma entrega muito sincera dos artistas em conhecer a obra e pensar possibilidades. Como resultado, obtivemos uma variedade conceitual, artística e técnica: foram produzidas obras em realidade aumentada, audiovisuais, experimentos realizados através de percursos de bicicleta que possibilitaram desenhar uma nova cartografia na cidade, trabalhos explorando o som da cidade em relação com o painel de Portinari, dentre outros”.

De acordo com o presidente da Casa Fiat de Cultura, José Eduardo de Lima Pereira, “nosso papel na formação de um público crítico e aberto a novas linguagens está sendo cumprido. A inovação e a experimentação propostas neste projeto permitem que o novo esteja lado a lado com a arte tradicional. Nesta Residência Artística, a arte digital se propõe a discutir o patrimônio e assim provoca reflexões sobre o passado, o presente e o futuro”.

A exposição “Cidades e outras passagens” da Residência Artística em Arte Digital é uma realização da Casa Fiat de Cultura e do Ministério da Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio de Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Banco Fidis, Fiat Chrysler Finanças, Fiat Chrysler Participações e Banco Safra, e apoio do Isvor, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Casa Cor Minas, Multicult, Circuito Liberdade, Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha), Governo de Minas e Governo Federal.

28.05.2018 – BELO HORIZONTE/MG -CASA FIAT DE CULTURA – Residencia Artistica na . Foto: Leo Lara/Studio Cerri

As obras
· “De Portinari em Portinari BH”, de Flávio CRO e Letícia Vianna: vídeo que apresenta o trajeto, feito de bicicleta, da Casa Fiat de Cultura em direção aos diversos “Portinaris” que existem na cidade de BH, não apenas outras pinturas, mas também estabelecimentos comerciais e até uma rua com o nome do artista.
· “Interface Preta”, de Thiago Amoreira e Fabrício Lins: instalação interativa que permite uma experiência sensorial, tátil e auditiva, do conceito de mudança e contraste do painel de Portinari, com elementos que remetem ora a Ouro Preto, ora a BH.
· “Portinari Aumentado”, de Augusto Lara e Thiago Amoreira: instalação interativa de realidade aumentada do painel que permite ao público visualizá-lo em profundidade por meio de um aplicativo para dispositivos móveis. Foi realizada com a utilização de técnicas tridimensionais, pintura e colagem digital.
· “Mais do mesmo”, de Fabrício Lins: instalação sonora criada a partir de registros sonoros da cidade de Ouro Preto no período da Inconfidência Mineira (1789) e de BH (2018) que sugerem a curiosa similaridade entre os dois espaços e épocas tão diferentes.
· “Ponto em Pixel”, de Guilherme Xavier: animação 2D em pixel art que apresenta pontos não-turísticos de Belo Horizonte, mas que fazem parte do cotidiano dos moradores da cidade e que, dessa forma, contribuem de forma significativa para a identidade da capital mineira.
· “Mineiras”, de Mari Moraga: vídeo que apresenta entrevistas com mulheres imigrantes em BH, tendo também a cidade como personagem, mostrando prédios representativos do glamour e progresso urbano em contraponto com espaços abandonados e deteriorados que também fazem parte da capital mineira.
· “Extrações”, de Alexandre Milagres e Fabrício Lins: vídeo que une uma foto e os dados extraídos das redes sociais do artista e cria uma nova imagem dele reinserida em uma estética que remete a um mapa topográfico de uma cidade.

Os artistas
· Alexandre Milagres (Belo Horizonte, MG): Mestre em Comunicação Social pela UFMG
· Augusto Lara (Belo Horizonte, MG): Bacharel em Cinema de Animação e Artes Digitais pela UFMG
· Fabrício Lins (Governador Valadares, MG): Graduando em Artes Plásticas pela Escola Guignard
· Flávio CRO (Manhumirim, MG): Mestre em Artes pela Escola Guignard
· Guilherme Xavier (Belo Horizonte, MG): Graduando em Design pela UEMG
· Letícia Vianna (Belo Horizonte, MG): Graduanda em Design na Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)
· Mari Moraga (Pelotas, RS): Formada em Audiovisual pela Unisinos (RS)
· Thiago Amoreira (Pitangui, MG): Graduando em Artes Visuais na Escola de Belas Artes da UFMG

O painel “Civilização Mineira” (1959)
Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), este é o maior painel de Candido Portinari em Minas Gerais, medindo 2,34 X 8,14 metros, em exposição permanente na Casa Fiat de Cultura. O painel retrata a mudança da capital mineira, da cidade de Ouro Preto para Belo Horizonte, em 12 de dezembro de 1897. Em meio à paisagem, a presença de Tiradentes e outras personalidades retoma outro marco da história do Estado: a Inconfidência Mineira (1789). Com técnica mista, têmpera e óleo, a obra é caracteristicamente modernista, sem abrir mão de fundamentos da pintura clássica. Portinari (1903-1962) é considerado um dos maiores artistas brasileiros do século XX, tanto por sua produção estética quanto pela atuação consciente nos âmbitos cultural e político.

Casa Fiat de Cultura
Há 12 anos, a Casa Fiat de Cultura cumpre importante papel na transformação do cenário cultural mineiro, ao apresentar, em Belo Horizonte, algumas das mais relevantes e prestigiadas exposições já realizadas no Brasil. Foram mais de 40 exposições de consagrados artistas brasileiros e internacionais, além de mostras de artistas que despontam na cena contemporânea. Sua contribuição à renovação da produção artística e à formação de público se estende por meio de uma programação diversificada de música, palestras e de um Programa Educativo que propõe conceitos e reflexões no diálogo com o público em visitas mediadas e nas práticas promovidas no Ateliê Aberto, um espaço de experimentação artística livre. A Casa Fiat de Cultura integra um dos mais expressivos corredores culturais do país, o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte. Em sua sede no histórico edifício do Palácio dos Despachos apresenta, em caráter permanente, o simbólico painel de Portinari, Civilização Mineira, de 1959. Mais de 2 milhões de pessoas já visitaram suas exposições e 350 mil participaram de suas atividades educativas.

SERVIÇO
Exposição “Cidades e outras passagens na Casa Fiat de Cultura – Caminhos de uma residência em arte digital”
4 de julho a 5 de agosto de 2018
Terça a sexta, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h
Entrada gratuita
Bate-papo com curador e artistas
5 de julho
19h30 às 21h
Participação gratuita, com espaço sujeito à lotação
Casa Fiat de Cultura
Circuito Liberdade
Praça da Liberdade, 10 – Funcionários – BH/MG
Horário de funcionamento: terça a sexta, das 10h às 21h – sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

Informações
(31) 3289-8900
www.casafiatdecultura.com.br
[email protected]
facebook.com.br/casafiatdecultura
Instagram: @casafiatdecultura
Twitter: @casafiat
www.circuitoculturalliberdade.com.br

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais Diversos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *