Home Destaque Belo Horizonte recebe pela primeira vez festival de pintura em prédios

Belo Horizonte recebe pela primeira vez festival de pintura em prédios

32 min read
0
0

Com patrocínio da Stella Artois e do Instituto Unimed-BH pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura, e apoio de tintas da Coral, o CURA – Circuito Urbano de Arte de Belo Horizonte também oferece extensa programação na rua Sapucaí em parceria com a Benfeitoria.

Um sonho antigo de vários artistas e amantes de arte urbana que agora vira realidade: cobrir com cores a linha do horizonte e transformar a paisagem de BH. Resgatando a trajetória da arte urbana na cidade e reconhecendo sua atual dimensão e força no Brasil e no mundo, o CURA é o primeiro festival de pintura em prédios de Belo Horizonte e o segundo do gênero no Brasil. As obras serão realizadas nas laterais cegas (“empenas” para os íntimos) de quatro prédios do centro de BH, com dimensões que chegam a 50 metros de altura e 37 metros de largura. A seleção das empenas foi feita a partir de um recorte visual: todas as quatro empenas serão vistas simultaneamente da rua Sapucaí.

Cinco artistas nacionais e internacionais com experiência em murais em grande escala (sendo três mulheres e dois homens) foram convidados para realizar as pinturas. A execução do trabalho poderá ser acompanhada durante todo o festival, que vai de 26 de julho a 6 de agosto, a partir da rua Sapucaí, o novo e primeiro mirante de arte a céu aberto de Belo Horizonte. O festival terá um bar provisório na rua Sapucaí para as pessoas acompanharem as pinturas e uma programação cultural extensa, com mesas de debate, festas, feira de arte e projeções de filmes, criada em parceria com a Benfeitoria (em anexo a programação).

Nesta primeira edição, o CURA terá dois artistas de Belo Horizonte, Thiago Mazza e Priscila Amoni, a dupla Acidum Project, de Fortaleza, formada pelos artistas Tereza Dequinta e Robézio Marqs, e a artista espanhola Marina Capdevilla. Todos os artistas irão pintar a maior superfície de suas carreiras.

Para desenvolver suas obras, os artistas têm apoio do movimento “Tudo de Cor”, da Coral, marca de tintas decorativas do grupo holandês AkzoNobel. Rende Muito e Pinta Piso, em cores diversas, serão os produtos usados para transformar a paisagem da capital mineira. O “Tudo de Cor” é a missão da Coral posta em prática: levar cor para a vida das pessoas, melhorando suas realidades e transformando seus lares e suas cidades. Além disso, o movimento está em consonância com o compromisso global da AkzoNobel “Human Cities” (“Cidades Mais Humanas”), cujo intuito é melhorar, energizar e regenerar comunidades urbanas ao redor do mundo inteiro.

“É muito legal imaginar que de onde, hoje, avistamos um horizonte dominado pelo cinza do concreto, em breve, será uma paisagem colorida. Cor é vida, e todos poderão sentir esse impacto! São obras gigantes que estarão à vista de milhões de pessoas que passam pelo hipercentro de Belo Horizonte diariamente. As cores e as artes tornam as cidades mais humanas, e é isso que acontecerá em BH. Mais do que pensar na visibilidade do festival, eu penso que milhares de pessoas da minha cidade vão conviver com minha obra. Hoje, não consigo olhar para uma empena sem imaginar que é uma tela gigantesca que pode receber uma obra de arte pública”, comenta o artista Thiago Mazza sobre a experiência de pintar um prédio no hipercentro da terceira maior cidade do Brasil.

A criação de um circuito urbano de arte com murais assinados por grandes artistas reconhecidos internacionalmente pode colocar Belo Horizonte no circuito de arte de rua do mundo, atraindo turistas apaixonados por grafite e muralismo. A ideia é que, nas próximas edições, o Festival consiga cobrir com murais e grafites todas as empenas que são vistas da rua Sapucaí. O projeto converge com a atual cena cultural de BH que está transformando a rua Sapucaí em efervescente corredor cultural, com potencial para se igualar às mais charmosas, criativas e interessantes ruas das principais cidades do mundo.

A arte urbana vive seu auge. A Lonely Planet, maior editora de guias turísticos do mundo, lançou, em maio deste ano, o primeiro guia de Street Art e selecionou 42 cidades-chave para o turista experimentar a arte urbana, incluindo os endereços dos melhores lugares para ver murais e grafite. O guia enfatiza que, somado à população dessas 42 cidades, temos mais de 150 milhões de pessoas convivendo com arte na rua, mais do que dobro do número de visitantes anual dos dez museus mais visitados do mundo. Quem sabe BH não será selecionada pela editora Lonely Planet para a próxima edição do guia Street Art, a ser lançada em 2021? Pelo menos esse é o sonho das idealizadoras Janaína Macruz, Juliana Flores e Priscila Amoni.

Foto: Facebook CURA

CURA – Circuito Urbano de Arte
Belo Horizonte
26 de Julho a 06 de Agosto de 2017
Patrocínio: Stella Artois e Instituto Unimed-BH. Lei Municipal de Incentivo à Cultura
Parceria: Coral, Benfeitoria, Área de Serviço, Noar Trabalhos em Alturas e Vasto Mundo
Apoio: Instagrafite, Osmar Tintas, Fluxo Galeria Urbana, Alexandre Perocco, Real Vandal, Confronto urbano/Duelo de Tags, Tupi Andaimes, Rápido Andaimes, Flame, Othon Palace e Gráfica Formato
Apoio Institucional: Museu de Artes e Ofícios, SESI/FIEMG, Prefeitura de Belo Horizonte/Fundação Municipal de Cultura/BHtrans/Secretaria de Serviços Urbanos e CBTU
Curadoria e Realização: Jana Macruz, Juliana Flores e Priscila Amoni

Localização murais CURA
Horário da pintura: 8h às 17h
Artistas: Acidum Project (Tereza Dequinta e Robézio Marqs)
Edifício Rio Tapajós – Rua da Bahia, 325, Centro
Artista: Marina Capdevilla
Edifício Trianon – Rua da Bahia, 905, Centro
Artista: Priscila Amoni
Hotel Rio Jordão – Rua Rio de Janeiro, 147, Centro
Artista: Thiago Mazza
Edifício Satélite – Rua da Bahia, 478, Centro

Sobre os artistas participantes da primeira edição do CURA:
Priscila Amoni – uma das idealizadoras do CURA, é graduada em Design Gráfico pela Universidade Estadual de Minas Gerais e Mestre em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, Portugal, e hoje trabalha como muralista e diretora de arte no Cinema. A artista de 32 anos começou a pintar telas em 2008, mas é em 2013 que seu trabalho ganha um novo sentido, ocupando os espaços públicos e ganhando os grandes formatos. A artista tem murais em cidades do Brasil, como Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. Também viveu em Lisboa durante 3 anos, onde, além do seu mestrado, participou em três exposições coletivas, uma delas na Galeria Arte Periférica, localizada no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. No Brasil também participou de exposições coletivas, como “Vermelho é a cor da esperança”, no Espaço 104, Belo Horizonte e “Panaceia”, na Casa Camelo. Seus trabalhos são comumente utilizados para projetos gráficos, como por exemplo a capa dos discos “Camaleão Borboleta”, da banda Graveola e o Lixo Polifônico, “Enero”, do Confeitaria, e “Mana”, de Luiz Gabriel Lopes. O trabalho da artista é a expressão de sua relação com o poder feminino e das plantas, o estudo de sua força e seu sentido de cura, sempre privilegiando a perspectiva do conhecimento popular das minorias, principalmente as de cultura oral, como o xamanismo indígena, cultura popular, cultura negra, etc. Em sua obra mulheres e plantas e mulheres-plantas são curandeiras brasileiras, são negras e índias de cuja cabeça nascem plantas, órgãos vitais são frutas, pulmões podem ser bananas ou babosas, o coração pode ser uma pitaya o útero um grande cacho de guaranás. Criam-se hibridismos para reforçar nossa não separação com a natureza e o poder de transmutação presente dentro de nós.
instagram.com/priscilaamoni

Thiago Mazza – nascido em setembro de 1984, foi criado entre Ouro Branco e o distrito de Santa Rita de Ouro Preto, Minas Gerais. Teve uma infância povoada por bichos e plantas. Foi para a capital mineira para estudar, formou-se em Design Gráfico na Universidade Estadual de Minas Gerais, trabalhou como ilustrador em agências de publicidade, mas não seguiu carreira nessa área. Pouco tempo após se formar, Mazza largou o emprego e começou a se experimentar como artista fazendo alguns quadros e desenvolvendo técnicas de pintura. Autodidata, Mazza começou a pintar sob a influência de amigos grafiteiros. O artista se considera muralista, apesar de dedicar parte do seu tempo à criação de telas. Sua primeira obra de maior porte foi a parede do próprio quarto, pintada no final de 2011. Desde então, desenvolveu estilo próprio e seus murais podem ser vistos em diversos pontos de Belo Horizonte, cidade onde vive, no Rio de Janeiro e em países da Europa. Além de pintar murais e telas, Mazza também fez parcerias com algumas marcas como Jack Daniel’s (pintou duas esculturas no tamanho de 2 metros para o aniversário da marca), Alphorria (desenvolveu 3 estampaz para a grife), Som Livre (criou uma tela em homenagem a cantora Gaby Amarantos) e Adidas (criou uma tela para uma ação promocional). Mazza realizou duas exposições, sendo uma em 2012 chamada Casa de Luz e outra em 2015 com o nome de Matêro, após ter passado o ano anterior em seu sitio, perto de onde passou sua infância, trazendo para seu trabalho uma nova visão do ambiente onde cresceu. O trabalho do artista reflete a sua paixão pela natureza. Em 2015 Mazza fez a sua primeira residência na Espanha, realizando murais em Nigrán, na região de Pontevedra, Barcelona e Madri. Em 2016 Mazza passou novamente uma temporada na Europa para participar de festivais de arte urbana, entre eles o Artaerorap, em La Bañeza, Espanha; Stenografia, maior festival de arte urbana da Russia e UpFest, maior festival de streetart da Europa, realizado em Bristol, na Inglaterra. Thiago Mazza traz a natureza dentro de si, o engenho de transmutá-la e a arte de nos levar até ela.
thiagomazza.com.br
instagram.com/mazzolandia

Acidum Project – O Acidum Project é um coletivo de arte urbana que existe há 10 anos e é formado pelos artistas Robézio Marqs e Tereza Dequinta, da cidade de Fortaleza/Ceará. Criado pelo artista Robézio (a.k.a AC/D1) em 2006, o coletivo Acidum já realizou diversas ações e interações coletivas com outros artistas pelo Brasil, tendo concluído a primeira fase de 5 anos de experiências com a publicação de um livro sobre sua obra intitulado “Entregue às Moscas”, lançado em outubro de 2011 A dupla, além de ser reconhecida internacionalmente pelo seu trabalho com muralismo, trabalha também com design, fotografia, graffiti, lambe-lambe, tatuagem, stickers, stencils e projetos áudio visuais. São em estruturas acessíveis ou inabitadas que o Acidum baseia seu fazer artístico, subvertendo as noções de espaços reconhecidos como áreas estéreis. Criando nestes espaços possibilidades poéticas de atuação, seja pela arquitetura ou explorando o próprio peso simbólico que esses lugares carregam em seus campos de visualização e trânsito, a dupla cearense cria micro-universos, ressignificando a relação entre obra, espaço e observador. As ações e construções criativas do Acidum têm como característica marcante seu repertório de seres obscuros, propagandas insanas, lendas urbanas, grafias desordenadas e cenários entorpecedores. A dupla já pintou em grandes festivais de arte urbana como o Mural Festival, realizado em Montreal/Canadá, e tem pinturas nos EUA, Alemanha, Cabo Verde e em diversas cidades brasileiras. Tereza e Robézio também são realizadores do festival de arte urbana Além da Rua, que teve duas edições na cidade de Fortaleza/CE.
instagram.com/acidumproject

Marina Capdevila – é ilustradora e artista de Barcelona, Espanha. Depois de estudar Belas Artes em Barcelona, mudou-se para Roterdã/Holanda para estudar na Universidade Willem de Kooning. Nesse período trabalhou no estúdio Wallis & Mosman e Studio Piraat como designer gráfico. De volta a Barcelona, fez mestrado em Ilustração Criativa na escola Eina e, depois disso, começou sua carreira como ilustradora freelancer trabalhando em publicidade e desenvolvendo seu trabalho pessoal em seu estúdio. O trabalho de Marina é muito conhecido no meio publicitário, tendo colaborado com marcas como Reebok, Zara, Bershka, Movistar, Estrella Damm, TV3, Freixenet. Atualmente a artista tem se destacado como muralista e hoje seus murais podem ser vistos em diferentes lugares como Florida, Nova York, Califórnia, Suíça, México, Itália, Canadá, Holanda, Unidos Reino, Áustria, Espanha. O que inspira Marina é a beleza que não segue os cânones estéticos habituais como por exemplo a beleza das pessoas idosas. Sua musa é sua avó, e o que ela quer comunicar com suas obras de arte é o desejo de alcançar a velhice com vitalidade total. Os recursos de exagero e ironia são pontos chave em suas criações, bem como um poderoso gráfico de cores combinado com um sombreado suave inspirado na técnica renascentista Sfumato.
instagram.com/marinacapdevila

Sobre o projeto “Tudo de Cor”
Desde 2009, o projeto sociocultural “Tudo de Cor”, da Coral, leva cor para a vida das pessoas, transformando seus lares e suas cidades. Nos últimos sete anos, o projeto pintou mais de 8 mil imóveis pelo Brasil, além de capacitar pintores que residem nas regiões beneficiadas, totalizando cerca de 4 mil aprendizes formados. A iniciativa cuida e embeleza as casas, os espaços públicos e patrimônios históricos, inspirando e engajando moradores, voluntários e cidadãos em geral em uma grande onda de cor, renovação e otimismo. A preocupação com o meio ambiente também faz parte do “Tudo de Cor”. Atualmente, são usados exclusivamente produtos à base de água, o que reduz o impacto na natureza. Dessa forma, fecha-se um ciclo sustentável que resulta no aumento da autoestima individual e do senso de cidadania coletivo. Em 2011, o projeto foi um dos cases vencedores do Prêmio Marketing Best Sustentabilidade, que reconhece as melhores práticas sustentáveis das companhias no país.

PROGRAMAÇÃO
Evento: CURA – Circuito Urbano de Arte
Local: Belo Horizonte
Data: 26 de Julho a 06 de Agosto

Endereços murais:

Artistas: Acidum Project (Tereza Dequinta e Robézio Marqs)
Edifício Rio Tapajós
Rua da Bahia, 325. Centro

Artista: Marina Capdevilla
Edifício Trianon
Rua da Bahia, 905. Centro

Artista: Priscila Amoni
Hotel Rio Jordão
Rua Rio de Janeiro, 147. Centro

Artista: Thiago Mazza
Edifício Satélite
Rua da Bahia, 478. Centro

Endereços programação:

Mirante CURA. Rua Sapucaí
Benfeitoria. Rua Sapucaí, 153. Floresta.
Real Vandal. Edifício Maletta Rua da Bahia, 1148 – Sobreloja 21. Centro

26 de Julho, quarta-feira

Na rua Sapucaí
15h às 19h – Mirante CURA

Na Benfeitoria
19h às 20h30h – Cine garagem
Graffiti: Nos muros recortados, de Aloysio Raulino (1994). 15’’
Style Wars, de Tony Silver (1983). 1’09’’
20h30 às 22h – Roda de conversa com Ewerton Belico/Filmes de Quintal e Monge/Família de Rua

27 de Julho, quinta-feira

Na rua Sapucaí
15h às 19h – Mirante CURA

Na Benfeitoria
13h às 00h – Spray & Agulha: Flashtattoo especial tatuadores grafiteiros
Hyper
Bruna Olira
Tereza Dequinta
Maizena
19h às 21 – Roda de conversa: A história do graffiti em BH
Com Roger Dee, Debora Penacchini, Alan Academia e DMS.
Mediação: Binho

28 de Julho, sexta-feira
Na rua Sapucaí
15h às 19h – Mirante CURA

Na Benfeitoria
13h às 19h – Pintura ao vivo com Criola
18h às 00h – Hora feliz com Dj Guto Borges

Na Real Vandal
19h – Abertura Exposição “Pequenos Delitos” Onesto (SP)

29 de Julho, sábado

Na rua Sapucai
12h às 22h – Mirante CURA

Na Benfeitoria
16h às 18h – Roda de conversa: Graffiti no feminino
Com Bolinho, Viana, Minas de Minas e Clara Valente.
Mediação: Janaína Macruz
18h às 21 – Dj Luisa Lóes
21h às 23h – Queimão fotográfico do Erro 99

30 de Julho, domingo

Na rua Sapucaí
15h às 19h – Mirante CURA

31 de Julho, segunda-feira

Na rua Sapucaí
15h às 19h – Mirante CURA

01 de Agosto, terça-feira
Na rua Sapucaí
15h às 19h – Mirante CURA

02 de Agosto, quarta-feira
Na rua Sapucaí
15h às 19h – Mirante CURA

Na Benfeitoria
19h às 20h30 – Muralismo: uma introdução. Da tradição latino americana aos dias de hoje, com Manu Grossi.
20h30 às 23h – Dj Fael

03 de Agosto, quinta-feira

Na rua Sapucaí
15h às 19h – Mirante CURA

Na Benfeitoria
19h às 21h – Roda de conversa: Cidade e arte urbana, múltiplos olhares
Com Goma, Onesto (SP) e Michele Arroyo (IEPHA)
Mediação: Joana Ladeira (A real da rua)
21h às 00h – Bicimanas Sounds

04 de Agosto, sexta-feira
Na rua Sapucaí
15h às 19h – Mirante CURA

Na Benfeitoria
20h às 00h – Hora feliz com projeção do Vj Homem Gaiola + Dj Jones

05 de Agosto, sábado
Na rua Sapucaí
9h às 17h – Pintura ao vivo com Minas de Minas Crew no muro do metrô
12h às 22h – Mirante CURA
14h às 17h – Pedalada Circuito Urbano de Arte do Centro de BH

Na Benfeitoria
13h às 20h – Fluxo Galeria Urbana
Local: Benfeitoria. Rua Sapucaí, 153. Floresta.

06 de Agosto, domingo
Na rua Sapucaí
13h às 22h – Festa de encerramento do CURA
Confronto Urbano/ Duelo de TAG’S
Spin Force Crew
Batuque Salubre
DJ Pat Manoese
DJ Roger Dee
DJ Palomita
Local: Rua Sapucaí

Na Benfeitoria
13h às 20h – Fluxo Galeria Urbana
Local: Benfeitoria. Rua Sapucaí, 153. Floresta

Informações:
www.cura.art
www.instagram.com/cura.art
www.facebook.com/curafestival
www.twitter.com/cura_art
[email protected]

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais Destaque

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *