Home Diversos Festival Literário Internacional de Belo Horizonte – FLI- BH

Festival Literário Internacional de Belo Horizonte – FLI- BH

27 min read
0
0

Entre os dias 14 e 17 de setembro, o Centro de Referência da Juventude recebe o FLI-BH e a Primavera Literária, que oferecem atividades gratuitas de valorização da literatura e fomento à leitura

O Festival Literário Internacional de Belo Horizonte – FLI-BH chega a sua segunda edição com uma programação diversificada de atividades gratuitas de valorização da literatura e fomento à leitura. Serão mais de 200 atrações, entre elas, mesas de debates, oficinas, saraus, shows, narrações de histórias, exposições, feira de escritores, ilustradores e editoras independentes, mostra de cinema e literatura, bibliotecas para bebês, intervenções urbanas e sessões de autógrafos. O evento acontece entre os dias 14 e 17 de setembro, no Centro de Referência da Juventude. A realização é da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura (FMC), em parceria com a terceira edição da Primavera Literária, da Liga Brasileira de Editoras Independentes (LIBRE). O evento conta ainda com a parceria cultural do Sesc em Minas Gerais e do BDMG Cultural. Toda a programação é gratuita e encontra-se disponível no site www.flibh.com.br

Com o tema Vozes de Todos os Cantos, o FLI-BH 2017 propõe trazer à cena a diversidade que a literatura expressa, reunindo grupos que movimentam a cena literária na cidade e em diferentes partes do mundo. A ideia é romper com as divisões entre centro e periferia, entre guetos, grupos e classes sociais, entre o tradicional e o novo, e apossar da força que vem de diferentes territórios, com a variedade de culturas, de gêneros, de opções de expressão. Para isso, irá reunir 152 convidados locais, nacionais e internacionais, somando as vozes das ruas, dos saraus, da academia e do público leitor. Deste número, 57% são mulheres, o que reafirma a proposta de amplificar vozes que foram marginalizadas ao longo da história. A segunda edição do festival também homenageia a escritora mineira Laís Corrêa de Araújo, personalidade influente no meio literário, que se configura como uma grande intelectual brasileira, pesquisadora, ficcionista, tradutora e ensaísta.

“O FLIBH Vozes de todos os cantos pretende oferecer uma programação onde o leitor possa ser coautor em plenitude, onde ele possa, pela pluralidade de vozes apresentadas se identificar com a voz que é também o seu canto, e alargar esse lugar. A cidade é um lugar onde devem caber todos” destacam os curadores do Adriane Garcia e Francisco Morais Mendes.

Mesas
Em seu primeiro dia, o FLI-BH 2017 recebe o 11º Seminário BEAGALÊ: ler, brincar e aprender na primeira infância, que irá contar com as mesas de debate com os seguintes temas: As narrativas da infância brasileira, Uma escola para a infância e Os convites da literatura para a infância. O seminário integra o projeto Ler, brincar e aprender em família: um olhar para a primeira infância, que contempla a melhoria dos espaços e serviços para crianças de zero a seis anos e suas famílias nas bibliotecas públicas municipais e em outros equipamentos voltados para o público infantil, além de realizar atividades de formação no tema para profissionais da área.

A quinta-feira ainda reserva a mesa Ficção e ensaio: as esquinas da criação, com Luis Alberto Brandão, Marcílio França Castro, Maria Carolina Fenati, e mediação de João Pombo Barile; O Sesc Roda de Conversa trata o tema Música e Juventude Periférica na cidade de Belo Horizonte para o debate e a Conferência de Abertura: Todas as Vozes contará com a presença da escritora Ana Maria Gonçalves e de José Eduardo Gonçalves.

Na sexta-feira, dia 18 de setembro, a mesa Ler e Escrever na América Latina debate experiências de políticas públicas voltadas para a leitura em diferentes países com os convidados José Castilho Marques Neto, Juana Isabel Peralta Rodríguez (México), María Teresa González Romero (México) e Pilar Cuellar Delgadillo (Colômbia). A Palestra Ilustrada trará a escritora e ilustradora argentina Anabella López, que falará sobre as Imagens de todos os cantos. Já o encontro Vozes da Imaginação: de onde você tira essas ideias? discutirá os processos de construção de personagens com a presença de André Ricardo Aguiar, Jeter Neves, Laura Cohen, Cristina Agostinho.

O encontro Leituras e Imagens de Ilustradores irá reunir Anna Cunha, Anabella López, e Flávio Fargas, com mediação de Jéssica Tolentino, enquanto o Sesc Roda de conversas trará o debate sobre Literatura Periferias e Relações Raciais. A produção literária indígena será tema do debate Os Livros, as Letras e as Imagens da Floresta, com Eliane Potiguara, Mário Geraldo Fonseca, e Viviane Maia. A mesa O inventário poético de Laís Corrêa de Araújo irá reviver aspectos da obra da homenageada deste ano, com a presença da pesquisadora Maria Esther Maciel e da escritora Thaís Guimarães.

No sábado, dia 16 de setembro, Um gigante da resistência: 50 anos do Suplemento Literário de Minas Gerais abre os debates com a presença de Ângelo Oswaldo, Jaime Prado Gouvêa, Eneida Maria de Souza e Branca Maria de Paula (BH). A mesa Poesia e Música na Periferia: a voz dos saraus reúne coletivos e artistas que movimentam a cena literária e musical na cidade e no mundo em movimentos de resistência e de reivindicação por meio da palavra. Entre os convidados estão a poeta-slamer Nívea Sabido, o pesquisador e poeta Rogério Coelho, fundador do Coletetivoz (um dos mais antigos coletivos de saraus de Belo Horizonte), o cantor Flávio Renegado, as americanas Porsha Olayiwola, Campeã do Mundial de Slam, e a poeta Crystal Valentine, sob a mediação de César Gilcevi.

A voz das mulheres na literatura será pauta do encontro Literatura e Feminismo: A luta em forma de Letra com a presença das escritoras Flávia Péret, Ivana Jinkings, Regina Dalcastagne, Rosália Diogo e mediação de Márcia Maria Cruz. Já na mesa Clube do Livro: encontros e leituras, Letícia Pimenta, do Clube do Livro de Belo Horizonte, e Juliana Gomes, do projeto Leia Mulheres, irão compartilhar com o público as experiências dos clubes de leituras que integram. Finalizando os debates do dia, o tema Fictício Porque Narrado: autoficção e exercício da linguagem contará com a presença da premiada escritora Maria Valéria Rezende, e dos autores Michel Laub, Marcia Denser, Eduardo Sabino com mediação de Rogério Tavares, e vai discutir a fina membrana que separa o real do ficcional, e os riscos da alta porosidade entre o vivido e o escrito.

No último dia do evento, O diálogo do novo com a tradição inicia os debates do domingo, dia 17 de setembro, com a presença de Ana Elisa Ribeiro, Simone Andrade Neves, Ricardo Aleixo, Eduardo Lacerda e Bruna Kalil. A mesa Para que serve a escrita? promove um encontro entre Félix Kaputu (República Democrática do Congo), Teolinda Gersão (Portugal) e Lucia Castello Branco. A literatura ocupando espaços públicos da cidade em seus variados suportes é tema da mesa Muros, lixeiras, postes: a escrita das ruas com a presença de Érica Peçanha do Nascimento, Clarice Libânio, Renato Negrão. O real impacto das premiações literárias para autores será tratado na mesa Prêmios Literários: dinheiro, prestígio ou estímulo, com os autores Jacques Fux, Paula Fábrio, Tadeu Sarmento e Ana Amélia Lage Martins. Finalizando os debates, Conceição Evaristo, Oscar Nakasato e Sérgio Fantini discutem A Literatura e a Voz dos Personagens Invisíveis, que abordarão a escrita sobre grupos que se configuram entre as minorias sociais e sua visibilidade literária, com mediação de Dagmar Braga.

Primavera Literária
Apostando na diversidade, uma das maiores e mais bem-sucedidas iniciativas em favor do livro e da leitura do país, a Primavera Literária reúne 39 editoras independentes em sua terceira edição em Belo Horizonte. O principal objetivo da feira é dar acesso ao leitor a publicações diversificadas e o fortalecimento das empresas editoriais de pequeno e médio portes, muitas vezes não encontradas nas livrarias. O evento é uma ação de fomento à diversidade e parte do princípio de que o livro, como bem cultural, faz parte de uma economia específica e não deve ser submetido exclusivamente às leis do mercado. A Primavera Literária é realizada pela LIBRE – Liga Brasileira de Editoras, uma rede de editoras independentes, que conta com 130 associados que trabalham cooperativamente pelo fortalecimento de seus negócios, do mercado editorial e da bibliodiversidade.

“Não é fácil manter a continuidade de eventos literários em tempos tão difíceis, por isso, inclusive, temos muito prazer em repetir a parceira com o Festival Literário Internacional – FLI-BH, que acolheu nossa primeira edição belo-horizontina em 2015. Esta soma só nos fortalece” destaca a Juliana Flores, diretora da LIBRE, Liga Brasileira das Editoras em Minas Gerais, e coordenadora da Primavera Literária de Belo Horizonte.

Mostra de Cinema

A Mostra a Literatura no Cinema contará com a exibição de adaptações de obras literárias brasileiras para o cinema, que propõem uma transposição do texto literário para a linguagem audiovisual. As exibições serão realizadas no MIS Cine Santa Tereza com entradas gratuitas. Na programação estão os filmes A Hora da Estrela (2012), de Eduardo Goldenstein, Redemoinho (2016), de Jose Luiz Villamarim, Mutum (2007), de Sandra Kogut, Vênus Filó- A Fadinha Lésbica (2016), de Sávio Leite e O Cheiro do Ralo (2006), de Heitor Dhalia.

Atrações artísticas
A programação contará com grupos que movimentam a literatura em Belo Horizontaste e Região Metropolitana, trazendo as vozes da juventude e da periferia por meio dos saraus. Entre as atividades serão oferecidas uma mini oficina sobre como funciona um sarau, ministrada por Vito Julião, do Circuito Metropolitano de Saraus e Slam, além de edições especiais dos saraus A quebra da maldição desde seu nascimento, com Marta Neves e Academia Transliterária, Nosso Sarau, com Bim Oyoko, Sarau das Manas, com Thais Kas, Sarau Lá da Favelinha, com Kdu dos Anjos. Também estão previstas as apresentações do quarteto musical Cobra Coral, que se apresenta cantando um repertório de Caetano Veloso, no Palco Guaicurus. O show de encerramento do Festival trará o espetáculo musical “Triste Entrópico”, do artista Makely Ka com participação especial da cantora Ná Ozzetti.

Para crianças e suas famílias
O FLI-BH 2017 também trará uma programação especial para a família com destaque para as narrações de histórias, oficinas, rodas de leitura e o lançamento do CD e DVD “Brinquedorias”, do Grupo Serelepe. No fim de semana, a oficina Primeiras Leituras: um convite para bebês traz como proposta introduzir o universo da leitura por meio de brincadeiras, jogos corporais canções e rimas tradicionais na infância. Já Desenhar História promove o encontro entre pais e filhos com textos literários e brincadeiras com as narrativas. A oficina Miolo Mole desafia as famílias na construção e leitura de trava-línguas, tradicionais na cultura popular brasileira. Na Monte sua História, as crianças poderão recriar histórias tradicionais, enquanto na Livro Minuto serão feitas leituras e criação de livretos ilustrados pelos participantes. A oficina Brincar com Histórias do Teatro convidará as crianças para um jogo dramático com exercícios teatrais. As oficinas voltadas para o público infantil não precisam de inscrições prévias.

Oficinas
Neste ano, são oferecidas 16 oficinas, totalizando 380 vagas, voltadas para escritores, narradores de histórias, ilustradores, bibliotecários, educadores e leitores da cidade. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até sexta-feira, dia 8 de setembro, por meio do site www.flibh.com.br.

Sesc
O Sesc, parceiro do evento, valoriza e investe em iniciativas que promovem o acesso à cultura e ao conhecimento, trabalhando para abrir caminhos que muitos precisam para mergulhar em um mundo de possibilidades que a cultura pode proporcionar a uma pessoa. Além de participar do FLI e de tantos outros eventos relacionados à literatura, por meio das próprias ações, circula por Minas Gerais com a Biblioteca Volante e o BiblioSesc, unidades móveis com um amplo acervo literário à disposição da população. As bibliotecas também estão presentes nas unidades de serviço da instituição e abertas ao público. Sem contar o Prêmio Sesc de Literatura, oficinas de leitura e escrita literária, contação de histórias, exposições literárias, bate-papos e performances. No FLI, o Sesc traz para a programação convidados das mesas redondas, shows, rodas de conversa e contação de histórias.

PARA AS CRIANÇAS E SUAS FAMÍLIAS
16 de setembro, sábado
PRIMEIRAS LEITURAS: UM CONVITE PARA OS BEBÊS, Juliana Daher e Isaac Luis
10h30, 14h e 15h :: Biblioteca dos Bebê

Oficina BRINCAR COM HISTÓRIAS NO TEATRO, com Marcelo Alexandre Xavier
10 e 13h :: Biblioteca

SARAU DAS CRIANÇAS, com Letícia Gonçalves, Rodrigo Teixeira e Samuel Medina. Participação especial: Raisla Maria dos Santos e João Lucas dos Santos
11h :: Palco Guaicurus

Oficina MONTE SUA HISTÓRIA, com Wander Ferreira
14h :: Biblioteca

Oficina LIVRO MINUTO, com Samuel Medina e a equipe da Biblioteca Pública Infantil e Juvenil
15h30 :: Biblioteca

RODA DE LEITURA, com a equipe da Biblioteca Pública Infantil e Juvenil
16h30 :: Biblioteca

Oficina MIOLO MOLE, com Wander Ferreira
17h30 :: Biblioteca

17 de setembro, domingo
PRIMEIRAS LEITURAS: UM CONVITE PARA OS BEBÊS, Juliana Daher e Isaac Luis
10h30, 14h e 15h :: Biblioteca dos Bebês

DESENHAR HISTÓRIAS, com Suryara Bernardi
10 às 14h :: Biblioteca

Oficina MONTE SUA HISTÓRIA, com Wander Ferreira
14h30 :: Biblioteca

Oficina LIVRO MINUTO, com Samuel Medina e a equipe da Biblioteca Pública Infantil e Juvenil
15h30 :: Biblioteca

Lançamento do Livro CD DVD Brinquedorias, do Grupo Serelepe, da Escola de Belas Artes da UFMG
16h :: Palco Guaicurus

Informações
Evento: 2ª Festival Literário Internacional – FLIBH e 3ª Primavera Literária
Local: Centro de Referência da Juventude – CRJ
Endereço: Praça da Estação, s/n, Centro – BH
Data: de 14 e 17 de setembro
Toda programação é gratuita

Festival Literário Internacional de Belo Horizonte – FLI- BH
Qual sua nota para o artigo?
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais Diversos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *